Drogas

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Jovens e as drogas


APESAR dos riscos bem-conhecidos, as pessoas continuam a abusar de drogas, e esse abuso continua a destruir vidas. Esse vício custa aos Estados Unidos uns 100 bilhões de dólares por ano em serviços de saúde, perdas na produtividade do trabalho, ganhos perdidos e crime. Mas talvez sejam os jovens — praticamente crianças — que pagam o preço mais alto. Segundo um estudo realizado no Brasil e publicado no Jornal da Tarde, 24,7% dos jovens entre 10 e 17 anos já experimentaram algum tipo de droga.
Nos Estados Unidos, embora o uso de drogas por parte de adolescentes possa ter diminuído um pouco nos últimos anos, o número de jovens viciados é alarmante. Veja o caso dos alunos no último ano do ensino médio. De acordo com um estudo, 37% haviam pelo menos experimentado maconha no ano anterior. Um dentre 5 havia usado no mês anterior. Quase 1 dentre 10 havia experimentado a droga ecstasy no ano anterior. Mais de 6% tinham experimentado LSD.
Os relatórios de todo o mundo são sombrios. A Agência Britânica de Estatística Nacional informa que “12% dos alunos de 11 a 15 anos de idade haviam usado drogas no ano anterior .&nbsp. . A maconha era em muito a droga mais usada”. Em especial alarmante foi o fato de que “a mais de um terço (35%) havia sido oferecida uma ou mais drogas”.
Um relatório da União Européia também revelou que, entre os jovens, “beber até se embriagar é cada vez mais comum”. O relatório acrescenta que esse “abuso do álcool está relacionado com vários efeitos negativos a curto prazo, tais como acidentes, violência e intoxicação, além de problemas de desenvolvimento e sociais”. Do Japão vem a informação de que ‘as drogas mais usadas pelos adolescentes locais são solventes orgânicos, que podem levar ao uso de outras drogas’.
A oferta de drogas e a pressão de colegas também aumentam a possibilidade de o jovem entrar nesse comportamento autodestrutivo. “Meus pais nunca me falaram sobre drogas. Na escola, os professores mencionavam o problema mas sem entrar em detalhes”, explica Luiz Antonio, um jovem brasileiro. Incentivado por colegas de escola, ele começou a usar drogas aos 14 anos de idade. Mais tarde, quando tentou parar, seus “amigos” fornecedores de droga pressionaram-no à ponta de faca a continuar o hábito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário